BlogContextoComo preparar o estudante para vestibulares de alta performance?

Como preparar o estudante para vestibulares de alta performance?

Provas exigem treinamento diferenciado na área de Exatas

Os vestibulares de alta performance exigem maior domínio e compreensão na área de exatas. As questões de Matemática, Física e Química são de complexidade elevada e demandam que o estudante, além de ter conhecimento pleno na área, saiba usar a criatividade e a intertextualidade para resolvê-las.

Segundo Antônio Bonfadini, coordenador do curso ITA-IME do Colégio pH, a preparação para conquistar uma vaga nessas universidades é bem rigorosa. “Os alunos são treinados a usar maior criatividade e alternativas nas soluções dos problemas mais difíceis. Além desta preparação básica, eles são orientados a planejarem um estudo semanal, com divisão de tarefas diárias. Para acompanhar o progresso, eles realizam testes simulados semanais, aos domingos”, afirma Bonfadini.

O estudante que pretende prestar provas do ITA e do IME, por exemplo, deve ter foco nos seus objetivos e acompanhar todas as atividades programadas, desenvolvendo um programa de estudo consistente e compatível com o andamento das aulas em sala. É importante não deixar matéria acumulada e não descuidar das áreas específicas que caem na prova.

Preparação

A relação candidato/vaga no ITA é mais do que o dobro do que era em 2015. É natural, portanto, que alguns alunos comecem se preparar com muita antecedência. O ideal é que esta preparação comece logo no primeiro ano do Ensino Médio.

Caso um aluno decida só no último ano, ainda assim é possível ter um bom desempenho. Mas o candidato deve estar ciente que irá competir com vários outros estudantes bem preparados e que já estão se preparando por até três anos seguidos.

É necessário também que a preparação seja feita sem deixar de lado a formação humana dos jovens. Bonfadini afirma que a proximidade de alunos, professores e monitores faz com que isso seja possível.

“Após cada ciclo completo de testes ocorrem reuniões de “feedback” entre alunos e professores, onde são avaliados os progressos do estudante em função do planejamento feito, bem como são analisados aspectos externos que possam estar influenciando negativamente o seu desempenho. Busca-se incentivar a prática de esportes e de outras atividades lúdicas, de forma compatível com a programação acadêmica” ressalta o coordenador.

A Turma ITA-IME do pH já é o curso que mais aprovou para os vestibulares do ITA e do IME somados no Rio de Janeiro em 2018. Foram 42 aprovações de um total de 100 alunos inscritos.