BlogContextoEnem seriado, Itinerários Formativos e Projeto de vida: qual o objetivo dessas implementações?

Enem seriado, Itinerários Formativos e Projeto de vida: qual o objetivo dessas implementações?

O Ensino Médio é a etapa de encerramento da Educação Básica. Ela também é a fase que apresenta problemas mais preocupantes para os educadores. Sendo o momento que melhor prepara os estudantes para sua vida profissional e o mercado de trabalho, o grande descompasso entre o segmento e as necessidades dos jovens e as exigências do mercado exigiu mudanças.  

Desde a homologação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) do Ensino Médio, as escolas têm se esforçado para aplicar as mudanças que a reforma trouxe para o segmento. Com a data máxima de implementação em 2022, as mudanças no Ensino Médio vão ser refletidas nos processos avaliativos. Confira neste artigo tudo sobre essas mudanças! 

Você também vai gostar de ler:

5 dicas para melhorar as intervenções pedagógicas

Novo Ensino Médio e avaliações: prepare-se para as mudanças

Plano de Intervenção Pedagógica

As mudanças do Novo Ensino Médio 

Analisando todos os problemas do atual Ensino Médio, podemos perceber que parte do desinteresse dos jovens e suas consequências vinham da maneira com que o conhecimento é ofertado. O objetivo agora é modificar a forma com que o conteúdo é ofertado, oferecendo uma educação mais integral. O Plano Nacional de Educação (PNE) estabeleceu os pilares que guiaram a construção da reforma do Ensino Médio: 

  • Incentivo ao protagonismo dos alunos;  
  • Construção de um projeto de vida paralelo aos estudos;  
  • Desenvolvimento de responsabilidade e autonomia nas suas escolhas.  

Com o alto grau de insatisfação na forma com que os conteúdos são expostos aos alunos, o Novo Ensino Médio passa a ser dividido em Formação Geral Básica e Itinerários Formativos. Além disso, uma outra novidade do segmento é o trabalho do chamado Projeto de Vida dos alunos. O objetivo é tornar o aluno protagonista do seu processo de aprendizagem e dar significado às práticas de sala de aula. 

Os Itinerários Formativos 

Os Itinerários Formativos são um conjunto de unidades curriculares. Seu objetivo é que os alunos criem trilhas de aprofundamento de seus conhecimentos com base em seus objetivos e Projetos de Vida. Trata-se da parte flexível do currículo do Ensino Médio, já que as escolas podem definir como eles serão ofertados e os alunos decidem quais Itinerários querem seguir. Além disso, os Itinerários são pensados com base em Eixos Estruturantes e cada Itinerário deve passar por pelo menos um deles: 

  • Investigação Científica: Investigação da realidade, conhecimento de práticas e produções científicas, habilidade de pensar e fazer científico para promover a melhoria da qualidade de vida da comunidade. 
  • Processos Criativos: Conhecimento de arte, cultura, mídia, do pensar e fazer criativo, construção de soluções inovadoras para a vida em comunidade. 
  • Mediação e Intervenção Sociocultural: Conhecimento das questões relacionadas à vida humana e ao planeta, atuação socioambiental e cultural, mediação de conflitos e problemas da comunidade. 
  • Empreendedorismo: Conhecimento do mundo do trabalho, de iniciativas empreendedoras, articulação do próprio projeto de vida, uso de criatividade e inovação para atuar com protagonismo na comunidade. 

Vale lembrar que os Itinerários Formativos não são escritos em pedra, e é permitido que os alunos alterem a rota escolhida. O prazo para fazer essa mudança fica a cargo da escola, mas é preciso que os alunos tenham a oportunidade de troca. Além disso, o ideal é que esses Itinerários sejam escolhidos com base no Projeto de Vida dos alunos. Por isso, é recomendado que as instituições de ensino tenham um profissional especificamente responsável por essa orientação. 

O Projeto de Vida dos Estudantes 

O Projeto de Vida é um componente curricular do Novo Ensino Médio, definido pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB): 

“Os currículos do Ensino Médio deverão considerar a formação integral do aluno, de maneira a adotar um trabalho voltado para a construção de seu projeto de vida e para sua formação nos aspectos físicos, cognitivos e socioemocionais” ART.35-A, § 7º, LDB 

O trabalho do Projeto de Vida deve buscar desenvolver autoconhecimento nos discentes. Desse modo, é preciso oferecer a eles as ferramentas necessárias para que tracem um plano para o futuro como protagonistas de sua história. Basicamente, as escolas devem trabalhar a capacidade dos jovens de definirem sua vida pessoal, acadêmica e profissional, pautando-se em ideais como determinação, perseverança e autoconfiança para realizar seus projetos presentes e futuros.  

Novo Ensino Médio e o Enem 

Mesmo os documentos normativos do segmento não tratando do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), compreende-se que a avaliação deve se adequar a essas mudanças. O Ministério da Educação publicou no Diário Oficial a Resolução nº 3, de 21 de novembro, que dispõe sobre a atualização das Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio, a serem observadas pelos sistemas de ensino e suas unidades escolares na organização curricular: 

“Art. 32. As matrizes do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) e dos demais processos seletivos para acesso à educação superior deverão necessariamente ser elaboradas em consonância com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e o disposto nos Referenciais para a Elaboração dos Itinerários Formativos. 

  • 1º O Exame Nacional do Ensino Médio será realizado em duas etapas, onde a primeira terá como referência a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e a segunda, o disposto nos Referenciais para a Elaboração dos Itinerários Formativos. 
  • 2º O estudante inscrito no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) escolherá as provas do exame da segunda etapa de acordo com a área vinculada ao curso superior que pretende cursar. 
  • 3º As instituições de ensino superior deverão considerar para fins de acesso os resultados de ambas as etapas do Exame Nacional do Ensino Médio, quando for o caso.” 

Uma outra novidade no que diz respeito aos processos avaliativos do segmento é o Novo Saeb, ou Enem Seriado. O Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) com base na Portaria nº458, publicada no Diário Oficial da União, em 5 de maio de 2020, pelo MEC e pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), se torna mais uma forma de acesso ao Ensino Superior. Unido ao novo formato do Enem (Seriado), as notas dos alunos no Saeb vão compor a nota final de ingresso às universidades. 

O Novo Saeb propõe que os alunos a partir do 1º ano do Ensino Médio sejam avaliados anualmente, de forma seriada, contemplando todas as áreas do conhecimento. As provas serão padronizadas e sua matriz de referência alinhada às competências e habilidades previstas na Base Nacional Comum Curricular (BNCC).  

Entenda o Enem Seriado 

O Enem Seriado trata da aplicação de provas anuais que avaliam o conteúdo de cada etapa do Ensino Médio, de maneira seriada. A nota final será calculada com base no desempenho obtido em cada uma das provas seriadas. Ou seja, ao final de cada etapa, os alunos realizam um exame e ao final do Ensino Médio sua nota no Enem é composta pela média dos resultados obtidos nas provas realizadas no 1º, 2º e 3º ano. 

Dessa forma, o Enem Seriado pretende ser uma avaliação completa, que acompanha a trajetória do estudante. Outra novidade é a inclusão da tecnologia na aplicação do Enem seriado, ampliando as possibilidades do modelo. Enquanto o Enem Digital apenas prevê o uso da tecnologia como uma nova maneira de aplicar o Enem tradicional, no Enem seriado é um pouco diferente.   

A proposta é que o estudante inicie a prova com questões fáceis que vão evoluindo em níveis progressivamente, a depender do seu desempenho. Assim, quando o aluno chega a um nível com maior frequência de erros, o sistema interrompe a prova e informa a sua proficiência. Esse avançado modelo é muito utilizado em processos seletivos de pós-graduação em universidades no exterior. 

O Enem tradicional 

Educadores e estudantes não precisam se preocupar quanto ao Enem tradicional. Isso porque, de acordo com o Inep, o Enem tradicional continuará existindo.  Desse modo, caberá aos discentes escolher qual opção prefere. Além disso, será permitido aos estudantes participar de ambos os modelos, sendo possível aumentar as chances de obter um bom desempenho a partir do uso das notas tanto do Enem seriado quanto do Enem tradicional.   

Contudo, é importante que as escolas mantenham o foco em preparar os alunos para além do Enem. Por isso, preparamos um material completo sobre os principais vestibulares do Brasil, com dicas para que os educadores conheçam seus editais e auxiliem os alunos ao se prepararem.