BlogSaiu na MídiaQuero Bolsa – Crise Imigratória: Tudo o que você precisa saber sobre o tema

Quero Bolsa – Crise Imigratória: Tudo o que você precisa saber sobre o tema

Veículo: Canal Futura (Conexão Futura)

Data: 19/06/2019

Nesta quarta-feira (19), o relatório anual do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) divulgou que o número de pessoas fugindo de guerras, perseguições e conflitos atingiu a marca de 70,8 milhões em 2018. É o maior número registrado em quase 70 anos de existência do ACNUR.

Essa semana também é celebrado o Dia Mundial do Refugiado, no dia 20 de junho. A data foi dedicada à conscientização sobre a situação dos refugiados em todo o mundo. Hoje, o mundo vive a maior crise migratória pós Segunda Guerra Mundial.

O assunto já caiu na redação do Enem de 2012, com o tema “O movimento imigratório para o Brasil no século XXI”, e ainda é recorrente. O Enem e outros vestibulares esperam que os candidatos tenham um olhar crítico em relação à crise. É preciso saber opinar e desenvolver argumentos e propor soluções, no caso da redação.

Quem são e da onde vêm os refugiados?

Os refugiados são pessoas que foram forçadas a deixar seu próprio país, seja por desastres ambientais, perseguição política, étnicas, religiosas, de nacionalidade ou por guerras, e buscam asilo em países estrangeiros. Há ainda pessoas que tentam escapar da pobreza e violência de seus países.

Segundo a ACNUR, entre os 70,8 milhões de imigrantes, quase 25,9 milhões são refugiados. Mais da metade deles (67%) vêm de cinco países: Síria, Afeganistão, Sudão do Sul, Myanmar (Birmânia) e Somália. A maior parte vem da Síria, cerca de 6,7 milhões de pessoas, pois o país vive uma guerra civil desde 2011.

Quando começou o fluxo migratório?

O professor de geografia Luiz Duarte, do Sistema de Ensino pH, pontua que é importante que o estudante tenha uma visão geral sobre os principais fluxos migratórios do pós-Segunda Guerra Mundial.

Nessa época, a Ásia e a África viviam um processo de independência, enquanto a Europa estava em reconstrução, com oportunidades de emprego, segurança e o aparecimento do Estado de Bem-Estar Social, e o Estados Unidos num momento de grande prosperidade econômica.

“As crises econômicas na América Latina nos anos 1980 e 1990 também contribuíram para o deslocamento populacional e o incremento desse fluxo em direção à América do Norte e à Europa”, complementa Luiz.

Leia mais